Programa de Festas

Março 18, 2010

Casimiro de Brito – intervalo para um poema

Filed under: Uncategorized — profestas @ 10:08 pm
Tags: ,

 

Deito-me a teu lado. Sou a tua sombra
no lençol. Vou decifrar a luz dos teus olhos,
não me dás tempo. Os teus dedos tocam-me no rosto,
descem à garganta, começam a soletrar
o mapa do meu corpo: um grão sob a axila, uma pálpebra
que cintila, o rubor do mamilo
e já teus dentes se ocupam
do outro. Pressionas músculos e ossos
ao mesmo tempo que toco ao de leve
um seio, um lábio: quero deter-me no joelho
onde leio quedas na neve
e no ballet. Não me dás tempo.
Os corpos rodam, as mãos buscam outra terra,
outras águas. Os seios na virilha,
a barriga no pescoço. Estaremos a caminhar
demasiado depressa? Acaricias onde prometo
uma haste de sol. Uma casa voadora
na margem deste mundo tão previsível.
Erigimos com os nossos corpos
a mais efémera das esculturas. As tuas mãos
convidam-me a voar. Agora sou eu
quem não te dá tempo, escavando e descendo
à fenda silenciosa. Ouço-a. Um canto leve
e depois allegro e depois mais fundo.
Já não sei onde estou, quem sou
sobre as fontes e os rios e os abismos
de ti. Sentas-te, lama delicada, no meu peito
e desces e ajustas os teus ninhos
ao pequeno pássaro que pouco a pouco
se agita. Palpo e bebo e retenho a terra volátil.
a espuma, a vegetação de coxas, nádegas, mamas e águas
flutuantes. Ora subo ao chão ora me enterro
no ar, no lábio onde começa uma árvore
que se eleva até às nuvens. Não me dás tempo,
eu quero a eternidade mas tu não me dás tempo
para te contemplar. Ânfora nua
que bebo por fora e por dentro.
Dou-te a minha vida em troca da tua.

Anúncios

Dezembro 2, 2008

CHAPITÔ!!

Filed under: programações,sugestões — profestas @ 6:46 pm
Tags: , , , , ,

O Chapitô é um lugar especial. É de agora, e é de outra dimensão.

Costa do Castelo, 1/7
1149-079 Lisboa
ph+351 218 855 550
fax+351 218 861 463
www.chapito.org
chapitoblog.blogspot.com

Novembro 22, 2008

LISBOA MISTURA 2008 – Cinema São Jorge

Filed under: festivais — profestas @ 2:25 pm
Tags: , , , , , ,

FESTIVAL
Lisboa Mistura 2008
Cinema São Jorge, Lisboa
28 e 29 Novembro

Ver aqui : Sons da Lusofonia

Novembro 21, 2008

“Noites em Cheio” – despedem-se com poesia – Barcelos

AMANHÃ

“Noites em Cheio”
despedem-se com poesia

O programa municipal “Noites em Cheio” vai despedir-se de 2008.

Depois do teatro e da dança flamenca, o último espectáculo do ano terá lugar amanhã, dia 22, com uma noite de poesia.

O recital Luto Lento tem início marcado para as 22 horas, no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos, com entrada gratuita.

Câmara Municipal de Barcelos

Novembro 15, 2008

Homenagem a António Ramos Rosa e Casimiro de Brito

Sou nómada e basta-me
Beber a água que vem da montanha
E olhar a mica do céu onde se reflectem
As mutações da Coisa — o pó
Que nela pousa. A teia do conhecimento
Está podre e não vou
Deitar-me nela. Escrevo porque sou um arco
Que vai acumulando alguns restos
Alguma dor algum vento perfumado
E subitamente dispara. Cinza. Palavras
Que não têm deuses nem brilho nem nada.

Da frágil sabedoria – 2001

Dia 19 de Novembro, às 21h30

Lançamento do livro “69 poemas de amor”, da autoria de Casimiro de
Brito

– Sessão de poesia em torno da obra destes dois poetas, por Afonso Dias
e Tânia Silva ( ver
este site)

 A Biblioteca Municipal António Ramos Rosa situa-se em Faro, na Rua Carlos Porfírio -Telef. 289897500

Outubro 31, 2008

CASA DA AMÉRICA LATINA – Próximos espectáculos

Música, Dança e Canções da Venezuela

                                                                                                    

Com a Orquestra Típica da Venezuela.

data: Dia 3 de Novembro de 2008, Segunda às 21h30
local: Aula Magna (Lisboa)

ORIGEN Y LUZ

                                                              

Inauguração da exposição “Origen y Luz” de Maryolga Nieto, com conferência de Joaquin Lopez Mujica.

data: Dia 5 de Novembro de 2008, Quarta às 18h30 (Até dia 8 de Novembro)
local: Casa da América Latina

ITINERÁRIO Tango Poesia

Concerto – Recital por Marina Cedro (apresentação do seu último disco)

data: Dia 7 de Novembro de 2008, Sexta às 22h00
local: Casa da América Latina

                                                AGAKUKE E A FILHA DO SOL

Teatro de Marionetes pela Companhia Lua Cheia.

data: Dia 14 de Novembro de 2008, Sexta às 20h30
local: Casa da América Latina

ESPAÇOS

Exposição
Dia 21 de Novembro de 2008, Sexta às 18h30 (Até dia 28 de Novembro) – Casa da América Latina

O AMOR NA POESIA DOMINICANA

Dia 25 de Novembro de 2008, Terça às 18h30 – Casa da América Latina

AS ORIGENS DO MERENGUE

Conferência
Dia 27 de Novembro de 2008, Quinta às 21h30 – Casa da América Latina

 

site da Casa da América Latina

 

Outubro 28, 2008

Noites em Cheio animam Novembro, em Barcelos

Dança, teatro e poesia, são as três propostas da Empresa Municipal de Educação e Cultura e da autarquia barcelense, para os sábados à noite de Novembro, em Barcelos.

O programa municipal “Noites em Cheio” decorrerá nos dias 1, 15 e 22 do próximo mês.

As Noites arrancam logo no primeiro dia do mês, no sábado, 1 de Novembro, com a peça de teatro “Flutuantes”. A partir de um pequeno texto de August Strindberg, dois actores “flutuam” durante uma hora pelos mistérios da criação do mundo…Duas personagens retiradas da vida entram em palco, como que guiados por uma mão invisível…Vítimas das suas próprias vontades, entram num jogo de representação e afiguram-se como contadores de uma história da criação do mundo.

Quem quiser flutuar… poderá fazê-lo a partir das 22 horas, do próximo sábado, no auditório da Biblioteca Municipal.

No dia 15, será a vez da dança regressar ao programa das Noites em Cheio, com +Flamenco.

Trata-se de um espectáculo repleto de emoções, onde se mistura o folclore espanhol e o flamenco (cigano). O sapateado não poderia faltar, assim como todo o movimento corporal representado em mais de 50 ritmos e os trajes a preceito.

No final, e para que o público em geral se divirta, o espectáculo conta com uma parte interactiva, onde se convidam as pessoas a participar numa pequena animação, para poderem experimentar o que é a dança espanhola e a paixão do sentimento cigano.

O programa “Noites em Cheio” despede-se de Novembro e de 2008, com uma noite de poesia.

O recital Luto Lento, terá lugar no dia 22 de Novembro.

De referir que todos os espectáculos das “Noites em Cheio” decorrem no auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos, pelas 22 horas, e com entrada gratuita.

Outubro 14, 2008

Herberto Helder publica novo livro, “A Faca não Corta o Fogo”

Filed under: poesia — profestas @ 10:48 pm
Tags: , ,

Engoli
água. Profundamente: — a água estancada no ar.
Uma estrela materna.
E estou aqui devorado pelo meu soluço,
leve da minha cara.
O copo feito de estrela. A água com tanta força
no copo. Tenho as unhas negras.
Agarro nesse copo, bebo por essa estrela.
Sou inocente, vago, fremente, potente,
tumefacto.
A iluminação que a água parada faz em mim
das mãos à boca.
Entro nos sítios amplos.
— O poder de reluzir em mim um alimento
ignoto; a cara
se a roça a mão sombria, acima
da camisa inchada pelo sangue,
abaixo do cabelo enxuto à lua. Engoli
água. A mãe e a criança demoníaca
estavam sentadas na pedra vermelha.
Engoli
água profunda.

Herberto Hélder (de seu nome completo Herberto Hélder de Oliveira) nasceu no Funchal, ilha da Madeira, no dia 23 de Novembro de 1930. Frequentou a Faculdade de Letras de Lisboa, tendo trabalhado em Lisboa como jornalista, bibliotecário, tradutor e apresentador de programas de rádio. Começou desde cedo a escrever poesia, colaborando em várias publicações de que se destacam: Graal, Cadernos do Meio-Dia, Pirâmide, Poesia Experimental (1 e 2), Hidra e Nova. É um dos introdutores do movimento surrealista em Portugal nos anos cinquenta, de que mais tarde se viria a afastar.

Obras: Poesia – O Amor em Visita (1958), A Colher na Boca (1961), Poemacto (1961), Retrato em Movimento (1967), O Bebedor Nocturno (1968), Vocação Animal (1971), Cobra (1977), O Corpo o Luxo a Obra (1978), Photomaton & Vox (1979), Flash (1980), A Cabeça entre as Mãos (1982), As Magias (1987), Última Ciência (1988), Do Mundo, (1994), Poesia Toda (1º vol. de 1953 a 1966; 2º vol. de 1963 a 1971) (1973), Poesia Toda (1ª ed. em 1981). Ficção – Os Passos em Volta (1963).

«¡Intelijencia, dame / el nombre exacto de las cosas!
… Que mi palabra sea / la cosa misma,
creada por mi alma nuevamente […]»
Juan RAMÓN JIMÉNEZ

O livro não será reeditado “porque Herberto Helder não reedita. Quando muito existirá, talvez mais tarde, um novo livro que acrescente algo a estes poemas, como este volume faz com poemas já anteriormente publicados. É o poema contínuo”, disse Luís Guerra, da Assírio e Alvim.

“Estávamos à espera disto porque os novos poemas deste livro são muito fortes. Existia uma grande expectativa que a saída do livro não frustrou”, disse ainda Luís Guerra, que também revelou ter recebido, desde quinta-feira, inúmeros pedidos de várias livrarias de todo o país.

“A Faca Não Corta o Fogo – súmula e inédita” teve uma tiragem de 3000 exemplares e já só existem os que se encontram à venda nas livrarias.

Durante o fim-de-semana, a crítica literária nacional foi unânime no aplauso ao mais recente livro de Herberto Helder.

Setembro 1, 2008

Bulhosa – programação cultural – Setembro 2008

Filed under: diversos — profestas @ 5:13 pm
Tags: , , , , , , ,

Entrecampos

Dia 11, Quinta-feira, 18.30
Conversas na Bulhosa…..com Bernardo Pires de Lima
“O 11 de Setembro de 2001 e as Relações Internacionais”

Dia 16, Terça-feira, 13h
Música na bulhosa – Chorinhos
Dudas (guitarra acústica)
Guto Lucena

Dia 24, Terça-feira, 18h
Clube de Leitores
“Palhaço de Mim Mesmo”
De Paulo Mira Coelho
Orientação de Paula Reis
Presença do actor Ruy de Carvalho e João de Carvalho

Dia 25, Quinta-feira, 18.30h
Lançamento do Livro
“Não sei se sou diferente”
De Luísa Lobão Moniz
Livros do Horizonte Editora
Apresentação da Professora Doutora Ana Benavente

Dia 26, Sexta-feira, 12.30
Sessão de Autógrafos
Feminino Singular
de Sveva Casati Modignani
Porto Editora

Dia 30, Terça-feira, 18.30
Palavras na Bulhosa … Ode ao Vinho
A evocação de Baco – Um recital de poesia
Com Silvina Pereira e Júlio Martín

Oeiras Parque

Dia 23, Terça-feira, 13h
Música na bulhosa – Chorinhos
Dudas (guitarra acústica)
Guto Lucena

Dia 27, Sábado, 16.30h
Conta-me histórias
Por Leonor Fernandes

Linda-a-Velha Central Park
(Em colaboração com a Junta de Freguesia de Linda-a-Velha)

 Dia 18, Quinta-feira, 17 h
Conversas de Poesia
Poesia de Amália Rodrigues e Eugénio de Andrade
Por Tito Lívio

Dia 20, Sábado, 16 h
Conta-me histórias
 
 
Dia 27, Sábado, 16 h
Conta-me histórias
 
 
Dia 24, Quarta-feira, 21h
Clube de Leitores

A Eternidade e o Desejo
De Inês Pedrosa
Editora Dom Quixote
Orientação de Teresa Maia
(a confirmar a presença da autora)

Leitoras do “Conta-me Histórias”: Ana Pereira e Sandra Duarte

Campo de Ourique

Dia 13, Sábado, 11.30 h
Conta-me histórias
 
 
Dia 20, Sábado, 11.30h
Conta-me histórias
 
Dia 22, Segunda-Feira, 18.30h
Clube de Leitores
“O Império dos Pardais”
De João Paulo Oliveira e Costa
Editora Temas e Debates
Orientação de Olga Ferreira Marques
Esta sessão conta com a presença do Autor
 
 
Dia 27, Sábado, 11.30h
Reciclagem a Brincar – Atelier de reciclagem
Por Ana Rita Fernandes
 
 
Leitores do “Conta-me Histórias”:
Ana Rita Fernandes e Ricardo Falcato
  
Amoreiras
  
Dia 13, Sábado, 16 h
Conta-me histórias
 
 
Dia 27, Sábado, 16 h
Conta-me histórias
 
Leitor do “Conta-me histórias”: Filipe Pires
 

 
Nota: O “Conta-me histórias” é o programa de leituras infantis da bulhosa
 

Agosto 28, 2008

“Noites em Cheio” e “Subscuta” regressam a Barcelos – Setembro

As “Noites em Cheio” e o “Subscuta” estão de regresso a Barcelos, no mês de Setembro. Todas as sextas-feiras à noite e durante três sábados por mês, sempre às 22 horas, o auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos ganha uma nova vida, através da variedade de espectáculos propostos: música, dança, teatro, poesia, cinema e muito mais.

Com a despedida do Verão, a Empresa Municipal de Educação e Cultura e o pelouro da Cultura do Município de Barcelos voltam a promover o projecto, que promete aquecer as noites frias de Outono. Pretende-se que, mais uma vez, a terceira edição das “Noites em Cheio” seja sinónimo de noites de agradáveis encontros com a Cultura.

Em Setembro, as Noites serão dedicadas ao jazz. Logo no primeiro sábado, dia 6, as Noites arrancam com um concerto de jazz, protagonizado pelo Projecto Standard.

No segundo sábado de Setembro, os sons do jazz continuam em palco com um concerto do AP Quarteto. Formado em 2007, este quarteto toca repertório original, influenciado pelas mais modernas tendências do Jazz, não esquecendo as suas raízes norte-americanas.

No dia 27, o auditório da Biblioteca Municipal abre as portas ao Jazz Resort. Com Paulo Pinto e Luís Lapa, na guitarra, Main Well, no baixo, e Leandro Leonet, na bateria, neste resort a música, envolvida pelo jazz, tem nos seus ingredientes muito funk e rock, e é polvilhada com bossa e outras sonoridades que estejam à mão…

Subscuta

Também da responsabilidade da Empresa Municipal de Educação e Cultura e do pelouro da Cultura da autarquia, o programa Subscuta está de regresso, depois da pausa de Verão.

Na primeira sexta-feira do mês, o ciclo abre com o projecto Zelig. Em palco, cinco músicos dividem-se entre a marimba e o vibrafone, teclados, flauta, guitarras, contrabaixo e baixo, percussão, serrote com arco e percussões variadas (bombo de orquestra, apitos, buzinas, bongós, jogo de sinos, reco-reco, chapas). O recurso a texturas sonoras experimentais, a harmonia dos instrumentos acústicos com os electrónicos e outros menos usuais, são recorrentes na música deste grupo.

No dia 12, será a vez dos Bossa Antigua pisarem o palco do auditório da Biblioteca Municipal de Barcelos. Trata-se de um projecto musical, que conjuga os elementos harmónicos de derivação jazzistica com as melodias fluidas e elegantes da bossa nova. Deste cruzamento de conceitos resulta um repertório ecléctico, que funciona como ponto de encontro cultural entre várias correntes musicais que utilizam a mesma linguagem. Deste projecto fazem parte António Rodrigues (saxofone alto e tenor), Manuel Oliveira (bateria), Álvaro Anjos (contrabaixo) e Daniel Louro (piano).

A 19 de Setembro, o Quinteto Diana Martinez (voz, piano, guitarra, baixo e bateria) apresentará um amplo repertório musical, desde a música brasileira mais tradicional, até ao jazz fusão, soul, passando pelos standards intemporais da pop ou do funk revivalista…

O ciclo de Setembro do Subscuta encerra com a performance Ialaspi.

A entrada é livre.

Informação da Câmara Municipal de Barcelos

Maio 27, 2008

12ª Feira do Livro de Seia

Decorre no Centro de Interpretação da Serra da Estrela (CISE) de 31 de Maio a 8 de Junho a 12ª edição da Feira do Livro de Seia, este ano a par dos anteriores, com diversas actividades para além, claro, da presença de obras de diversas editoras.

O horário de funcionamento normal da feira é das 10h às 22h e no primeiro dia, pelas 15h30, acontece “Museu das Histórias” apresentado pelo curso de Animação Sócio-Cultural da Escola Profissional de Santa Comba Dão e encenado pelo professor Alexandre Sampaio.

Por volta das 21h30 é a vez de subir ao palco do auditório do CISE “RIT – Óqtrupe”, formado por Luís Portugal, Paulo Serafim e Vítor Fernandes.

Em Junho, no dia 1, está presente o grupo Chuchurumel: às 15h30 para uma oficina de instrumentos musicais populares portugueses e às 21h30 o grupo apresenta o espectáculo musical “Posta Restante”.

O dia 2 é dedicado à poesia, com “Vozes da Lusofonia”, que consiste na interpretação de poetas de língua portuguesa pelo Dr. Lauro Moreira, Embaixador do Brasil junto à Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP).

“Joana D’ Arc” é encenado pelo professor José Batista e apresentado, no dia 3, às 21h30, pelo Município de Seia e pela Escola EB 2,3 Dr. Guilherme Correia de Carvalho.

“Museu das Histórias” volta a marcar presença no dia 4, às 14h, e às 21h30 a Ludoteca Municipal, apresenta “COM(SENSOS)” um espectáculo de mímica com humor.

No dia 5, às 14h e às 21h30, é encenado “Minha Árvore Minha Casa” por Encerrado para Obras – Associação Cultural e Artística.

 

Ver Kaminhos, e o Interior Esquecido.

Maio 9, 2008

Há festa na Horta –

É em Lisboa, no domingo, dia 11 de Maio, no auge da Primavera.

Vizinhos dos bairros da Graça, Mouraria e Alfama, os amigos e todos os simpatizantes de hortas urbanas e da ruralidade citadina, podem participar num dia comunitário na Horta popular da Graça.

Mais que nunca as cidades têm que reencontrar o seu equilíbrio e voltar a abraçar a natureza.

Horta popular, na intersecção da Rua Damasceno Monteiro com a Calçada do Monte, nasceu como projecto do GAIA – Grupo de Acção e Intervenção ambiental, no âmbito da campanha “Por uma Agricultura mais sustentável” iniciada em 2007, no momento em que o GAIA começou o projecto “Centro Social”, albergando a sua sede nas instalações cedidas pelo Grupo Desportivo da Mouraria.

Programa do dia – Concertos e consertos, conversas e passeios na Horta:
9.00 – 19.30:
Oficina de construção de mobiliário urbano reciclado
14.30 – 19.30:
Tertúlias com Arq. Gonçalo Ribeiro Telles, Ângelo Rocha, Fernando Pires e o GAIA
Visitas guiadas à Horta
Bancas informativas do Banco Comum de Conhecimentos e do GAIA-CSM
Espaço para crianças, Pintura livre, Música acústica ao vivo, Petiscos vegetarianos
A partir das 20.00:
Jantar popular e festa no Centro Social da Mouraria.

“Está na hora de sair de casa

Porque a vida do dia-a-dia deixou de se criar, alimentar e saborear nas ruas da cidade, isolando-se em espaços monótonos e disconexos..
Porque nos movemos num túnel que nos transporta apressadamente das quatro paredes do nosso lar para as do nosso emprego e das nossas catedrais de consumo..
Porque para fomentar a tolerância é importante ter espaços para misturar e conviver com pessoas diferentes e assim descobrir que também somos semelhantes..
Porque uma cidade com gente na rua é uma cidade segura..
Porque o cordão umbilical que sempre ligou a cidade à natureza foi pavimentado, inibindo-a de respirar, de arrefecer-se, de hidratar-se, de abrigar-se do sol e de viver as estações..
Porque os bairros e as comunidades estão a ruir e já não conhecemos o nosso vizinho ..
Porque a esfera pública deve ser o território da humanidade e não da economia e ainda menos do economicismo..
Porque os centros comerciais não são espaços públicos e as estradas não são ruas..
Porque os espaços comuns são essenciais para celebrar, protestar, dialogar, namorar, expôr toda a complexidade do nosso tecido social e unirmo-nos em solidariedade..
Porque a mudança revigora-nos..

Por essas e muitas outras está na hora de sair de casa e fazermo-nos à rua.

Vamos reconquistar território e mudar as fronteiras, montar nas ruas os palcos da nossa expressão artística e cultural..

..em espírito de festa”.

Nunca morrerá a esperança, por maior que seja o conformismo, não é?

Informação dos sites:

Retomararua

lanka4earth

 

 

 

Maio 8, 2008

I Bienal Internacional “Raul de Carvalho”

“A “I Bienal Internacional Raul de Carvalho”, instituída em 2008, é uma iniciativa do Município de Alvito, que entende desta forma homenagear o poeta alvitense e, simultaneamente, criar um espaço de apoio e divulgação de novos talentos.

Tem como língua oficial o Português e está aberta à participação de expressões artísticas, de artistas nacionais ou estrangeiros, residentes ou não em Portugal, maiores de 16 anos.

A Bienal tem como objectivos, promover o desenvolvimento artístico, a divulgação de bons trabalhos e permitir o contacto da população com várias formas de arte, ao mesmo tempo que apela à criatividade dos cidadãos, sensibilizando para a valorização do Património Imaterial (natural, cultural, histórico, edificado e imaterial) do Concelho de Alvito”.

Raul de Carvalho nasceu no Alvito em 1920 e foi co-director da revista Árvore, colaborando ainda com outras publicações.
Com poemas traduzidos para algumas línguas estrangeiras, foi um dos premiados no Concurso Internacional de Poesia «Prémio Simon Bolívar», em 1956, com o livro “Mesa da Solidão”.

Algumas obras suas são: As Sombras e as Vozes (1949); Poesia 1949-1958 (1965); Tudo é Visão (1970); A Casa Abandonada (1977); Elsinore (1980); Um e o mesmo livro (1984).

Vem, serenidade!
Vem cobrir a longa
fadiga dos homens,
este antigo desejo de nunca ser feliz
a não ser pela dupla humidade das bocas.

Vem, serenidade!
faz com que os beijos cheguem à altura dos ombros
e com que os ombros subam à altura dos lábios,
faz com que os lábios cheguem à altura dos beijos.

Ver o site da Câmara Municipal de Alvito – telefone Tel.: 284480800

 

Maio 3, 2008

Poesia em Contra-Mão é Contagiarte

Filed under: poesia — profestas @ 9:34 pm
Tags: , , ,

Contagia-te com arte, arte é Contagiarte.

E a poesia é de todos.

Do Brasil, escrito por Sergio Vaz:

Ser Poeta
Não é escrever poemas,
É ser poesia.

 

Maio 2, 2008

Cuerpo 11 – Dibujos – Argentina

Filed under: diversos — profestas @ 11:34 pm
Tags: , , , , , ,

 

Que salen del alma en dias de tristeza? Dibujos, é ele.

Um autor argentino, de Cordoba, num mundo que realmente não tem fronteiras. Gonzalo Tolosa.

Comprendo, entiendo
Me duele pero así es
Es un cuento de sapos y príncipes
De amantes y de amor

Comprendo, entiendo
Ese sapo azul, es un verde príncipe
No es ni una cosa
Ni la otra al fin

Comprendo, entiendo
Has besado al sapo
Que tan solo es sapo
Y perdido al príncipe que viste de azul

Comprendo, entiendo
A la larga el príncipe será siempre príncipe
Aunque sólo sea un burdo exterior
Pero el sapo
Aún guarda una ilusión perdida
Quizás algún día
Se convierta en eso por lo cual un beso tiene su valor
Más si no deviene príncipe ese día
Muere sólo y triste
Entre barro y horror.

 

Aqui neste sitio

Abril 19, 2008

Concurso Literário 2008 – Papiro Editora

Filed under: concurso,literatura,poesia — profestas @ 5:14 pm
Tags: , , , , ,

Ler aqui o regulamento do concurso (documento pdf)

Abril 16, 2008

Ainda vai a tempo… «Noites com Poemas» hoje em S. Domingos de Rana

Abril 14, 2008

José Luís Peixoto

Filed under: poesia — profestas @ 7:42 pm
Tags: , , ,

O escritor José Luís Peixoto venceu por unanimidade o Prémio Daniel Faria 2008, com “Gaveta de Papéis”, o seu terceiro livro de poemas.

Em 15 de Abril, a Fnac do Chiado fará a respectiva sessão de apresentação, às 17h00.

Haverá outros lugares onde o autor estará a participar em eventos vários:

17 Abril – 21h30 – Porto – Quinta de Leitura, Teatro do Campo Alegre
18 Abril – 14h30 – Lousã – Cine-Teatro Municipal
22 Abril – 17.30h – Matosinhos – Conversa pública com outros autores.
22 Abril – 14h – Lousada – Conversa na Esc. Sec. de Lousada.

23 Abril – Lisboa – Sessão de autógrafos, Livraria Oficina do Livro, Rossio

José Luís Peixoto é um dos nomes mais importantes da nova geração de escritores portugueses. A sua obra narrativa encontra-se traduzida em vários idiomas e a sua poesia recebeu os maiores elogios do público e da crítica.

O livro de poemas “A Criança em Ruínas”, publicado nas Quasi Edições em 2001, teve já sete edições, tendo vendido mais de 10 000 exemplares, caso raro, senão inédito, no panorama da edição de poesia em Portugal.

Da sua “Gaveta de Papéis”, retirámos, daqui, uma pequena amostra.

“Tenho mil irmãs para amar sem palavras.

Tenho aquela irmã que caminha encostada

às paredes e sem voz, tenho aquela irmã de

esperança, tenho aquela irmã que desfaz o

rosto quando chora. Tenho irmãs cobertas

pelo mármore de estátuas, reflectidas pela

água dos lagos. Tenho irmãs espalhadas por

jardins. Tenho mil irmãs que nasceram

antes de mim para que, quando eu nascesse,

tivesse uma cama de veludo…”

Abril 2, 2008

CICLO OUTRAS LISBOAS – Letras em Lisboa – O Princípio da Aliança Portugal – Brasil – África

Um ciclo que decorre de 9 a 13 Abril, organizado pelo Teatro São Luiz e pela Casa Fernando Pessoa. Um ” Encontro de alguns dos mais importantes escritores lusófonos, e ainda criadores,editores, divulgadores, críticos e interessados na literatura dos países lusófonos, para se discutir a identidade e a diversidade da literatura dos países de língua portuguesa.

A iniciativa visa construir uma ponte entre as culturas de língua portuguesa do Brasil,Portugal e África, e criar propostas em comum para promover o acesso dos autores lusófonos aos espaços de divulgação e difusão de suas obras no mundo. Serão abordadas questões como a unificação da língua portuguesa e a necessidade de ampliar o intercâmbio de obras nos respectivos países dos escritores convidados.

Organização SLTM ~ Casa Fernando Pessoa ~ Universidade Federal de Ouro Preto

PROGRAMA

CASA FERNANDO PESSOA –
4.ª feira, 9 ABR

18h30 Inauguração da exposição Os Lugares de Pessoa
19h00 Literaturas Lusófonas: uma ponte entre o Brasil e Portugal
Celso Marcos (Embaixador do Brasil em Portugal), Francisco Seixas da
Costa (Embaixador de Portugal no Brasil) e Rui Rasquilho
21h30 A tentação de ser muito feliz
Espectáculo com José Miguel Wisnik e Arthur Nestrovski.

5.ª feira, 10 ABR

18h00 O Canto do Cisne de Schubert
Concerto com Adriano Jordão (piano) e José Oliveira Lopes (barítono)
19h30 Teoremas e cataplasmas: ‘teorias da alma’ em Machado de Assis
Conferência por José Miguel Wisnik

TEATRO SÃO LUIZ

6.ª feira, 11 ABR

15h30 Poesia contemporânea: Pessoa pesa?
Nuno Júdice, Fernando Pinto do Amaral, Gastão Cruz, Pedro Mexia
Moderação de Carlos Vaz Marques
17h00 Escritas Híbridas: a mescla de géneros e linguagens é o paradigma da contemporaneidade?
Maria Esther Maciel, Maria Dolores, Ana Marques Gastão
Moderação de Guiomar de Grammont
19h00 Literaturas Pós-Coloniais: a lembrança de um futuro? (África, Brasil,Portugal)
Luísa Coelho, Lídia Jorge, Eduardo Pitta, Paulo Nogueira
Moderação de Carlos Vaz Marques

sábado, 12 ABR

15h30 A Escrita tem Terra? Literaturas de Língua Portuguesa hoje
Patrícia Reis, Possidónio Cachapa, Luís Amorim de Sousa.
Moderação de Rui Tavares
17h00 Valor, valores: a herança do Padre António Vieira
Miguel Real, Inês Pedrosa, Rodrigo Bastos, Rui Zink.
Moderação de Jacinto Rego de Almeida
19h00 Escrita e Erotismo
Guiomar de Grammont, Maria Teresa Horta, Francisco José Viegas.
Moderação de Inês Pedrosa

domingo, 13 ABR

15h30 Literatura e História: heranças no imaginário lusófono (África, Brasil,Portugal)
Maria Lúcia Lepecki, Leonor Xavier, Jacinto Rego de Almeida, Rui
Tavares.
Moderação de Luísa Coelho
17h00 O estereotipo do «Outro»: globalização da incomunicabilidade nas
cidades contemporâneas
José Carlos de Vasconcelos, Carlos Fino, Christiane Coelho
Moderação de Luís Caetano
19h00 Mimalismo na Prosa e na Poesia: ainda há lugar para os poetas no
mundo de hoje?
Júnia Carvalho, José Luís Peixoto, Suzana Vargas
Moderação de Epiphânio Camillo dos Santos

Entrada livre M/6

Sites: Teatro são Luiz

         Casa Fernando Pessoa

Março 10, 2008

Dia Mundial da Poesia – Centro Cultural de Belém – 22 de Março

Filed under: poesia — profestas @ 6:21 pm
Tags: , ,

É no dia 22 de Março que, no Centro Cultural de Belém, se comemora o Dia Mundial da Poesia.

Leve um poema, oiça poemas, a poesia é de todos.

“O programa, que se estenderá das 12:00 às 20:30, ocupando todo o piso térreo do Centro de Reuniões, inclui uma feira do livro de poesia, conferências, audição de DVDs de poetas, uma exposição de poesia visual e culminará com um espectáculo no Grande Auditório.

– Espaço de Troca FOYER AUDITÓRIOS
Neste espaço não é permitido dinheiro. Faça-se acompanhar por um livro (ou mais) que já tenha lido e dirija-se ao Espaço de Troca. Aí pode trocar o seu livro por outro, tão simples como isso.

– Feira do Livro de Poesia RECEPÇÃO MÓD.1
Pode comprar o livro do seu poeta preferido.

– Exposição GALERIA MÁRIO CÉSARINY
– Exposição de poesia visual (desenho e pintura) de Ana Hatherly.

– Espaço de Fazer Poesia SALA EUGÉNIO DE ANDRADE
Espaço especialmente vocacionado para um público interessado em compor, desenhar ou pintar poesia, onde não irão faltar poetas e artistas plásticos que o vão ajudar a encontrar inspiração.
Dos 2 aos 99 anos

– Diga lá um Poema PASSAGEM 1/2
Poesia dita por pessoas conhecidas ou pelo público.

– As Faces do Poeta FOYER NORTE RECEPÇÃO MÓD.1
Projecção de vídeos de poesia dita por poetas e actores.

– O Canto dos Poetas PASSAGEM SUL 1/2
Doze televisores formam um videowall onde vão passando imagens de poetas ao mesmo tempo que se ouve poesia dita por poetas ou actores, gravadas em CD.

– De viva voz SALA LUÍS DE FREITAS BRANCO
Poetas, actores e outros convidados dizem poesia sua e dos outros.

Quatro actores:
Suzana Menezes diz Natália Correia
Pedro Lamares diz Al Berto
Beatriz Batarda diz Sophia de Melo Breyner Andersen
Diogo Dória diz Herberto Hélder

Oito poetas:
Vasco Graça Moura, Nuno Júdice, Gastão Cruz, Ana Luisa Amaral, Pedro Tamen, valter hugo mãe, Manuel Alegre, Maria Andersen e António Franco Alexandre

Conferências | Conversas SALA DE LEITURA

Espectáculo | Uma canção para ouvir-te chegar GRANDE AUDITÓRIO
18:30 – 20:30
Pedro Moutinho e Mafalda Arnauth cantam poetas portugueses
Luis Lucas e Luisa Cruz dizem poetas portugueses”.

Veja tudo aqui, no CCB

Página seguinte »

Create a free website or blog at WordPress.com.