Programa de Festas

Janeiro 10, 2008

Pedro Tamen – Prémio Literário Inês de Castro

Filed under: literatura — profestas @ 7:16 pm
Tags: , , ,

         

Poeta , tradutor e ensaísta, Pedro Tamen recebe a primeira edição do Prémio Literário Inês de Castro, pela obra “Analogia e Dedos”, revelou hoje à agência Lusa, Aníbal Pinto de Castro.

O prémio, criado pela Fundação Inês de Castro (FIC), foi atribuído este ano pela primeira vez, sendo entregue a Pedro Tamen no sábado, numa cerimónia presidida pela ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima.

O júri que escolheu Pedro Tamen integrava, além de Aníbal Pinto de Castro, José Carlos Seabra Pereira, Mário Cláudio, Fernando Guimarães e Frederico Lourenço.Segundo o presidente da FIC, catedrático jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, a Fundação Inês de Castro atribuiu também o Tributo de Consagração a Urbano Tavares Rodrigues, pelo conjunto da sua obra.

No final do ano passado, Pedro Tamen arrebatou, com a mesma obra, o Prémio de Poesia Luís Miguel Nava, relativo a livros publicados em 2006.O poeta e tradutor nasceu em Lisboa em 1934. Entre as suas obras contam-se “O Sangue, a Água e o Vinho”, “Escrito de Memória” e “Dentro de Momentos”.

Com o valor de 5000 euros, o Prémio Literário Inês de Castro pretende distinguir uma obra sobre a temática do mito inesiano, “podendo abranger temas tão abrangentes como a paixão, a vingança, a tragédia, a razão de Estado ou outros aspectos da representação histórico-cultural portuguesa”.

A Fundação Inês de Castro celebra sábado o seu terceiro aniversário com diversos eventos ligados aos temas inesianos, com a participação de várias figuras das artes e da política portuguesa.

Além da entrega dos prémios, está prevista uma visita ao jardim medieval e à mata da Quinta das Lágrimas.

Serão também anunciadas as novas iniciativas promovidas pela FIC no sentido de favorecer a investigação e divulgação da história, da cultura e da arte relacionadas com temas inesianos.

“Abres os braços, livres ou intensos,
e não é só a mim que tu recebes:
abrigas lentas luzes, ventos densos,
distantes calmas, costas, limos, neves…
Assim os búzios: quando os temos
na mão, rugosos e cantantes,
quem sabe se os sabemos
hoje, depois ou antes?”

Excerto do poema “ Digo de ti…”

Create a free website or blog at WordPress.com.