Programa de Festas

Janeiro 25, 2008

Do Desassossego – Teatro da Comuna

Filed under: teatro — profestas @ 1:54 am
Tags: , , , ,

“Posso imaginar-me tudo, porque não sou nada. Se fosse alguma coisa, não poderia imaginar. O ajudante de guarda-livros pode sonhar-se imperador romano; o Rei de Inglaterra não o pode fazer, porque o Rei de Inglaterra está privado de ser, em sonhos, outro rei que não o rei que é. A sua realidade não o deixa sentir”.

Livro do Desassossego, de Bernardo Soares.

Apenas umas palavras retiradas dum livro que se vai lendo sempre, sem princípio nem fim, sem enredo.
Isto a propósito da peça em cena no Teatro da Comuna.

“Uma encenação de João Mota a partir do “Livro do Desassossego” de Bernardo Soares/Fernando Pessoa, transformado num “monólogo interpretado por dois personagens”: um músico (o próprio Pessoa – Hugo Franco) e um actor (Carlos Paulo que representa seis personagens). No Teatro da Comuna (Lisboa), até 8 de Março.


A peça começa com Pessoa sentado à sua secretária a escrever e a apresentar as razões para o seu “Livro do Desassossego”. A partir daí, Carlos Paulo entra em cena para vestir as almas do poeta, acompanhadas pela música interpretada pelo próprio Pessoa, pela mudança de cenários e estados de alma – que serão porventura menos perturbados no papel de Palestrante.


Como Escriturário, assiste-se a um Pessoa que questiona o seu trabalho, que quer estar aonde não está, mas que ao mesmo tempo considera que o que tem é o melhor. Enquanto Criança, vê-se um Pessoa perturbado com a morte dos pais, sozinho no seu mundo que ninguém compreende, ateu mas ao mesmo tempo a pensar que o seu pai é Deus. O Mendigo questiona a vida e a forma como ela se organiza. O Palestrante disserta sobre o amor e convence as mulheres a serem fiéis em actos mas nunca em pensamentos. O Homem/Mulher reflecte sobre as relações humanas frente a um espelho e dividido, na prática, num fato metade homem, metade mulher. Por fim, o Revoltado volta a trazer à tona os tormentos de um Pessoa para quem a morte era o melhor dos fins e a alma humana era muito mais do que o corpo é capaz de conter.
O espectáculo, recriado a partir de outra adaptação da Comuna do mesmo “Desassossego” pessoano estreada em 2001, tem a duração de uma hora, que se absorve rapidamente nas palavras, tormentos e reflexões de Pessoa combinados com a interpretação de Carlos Paulo. “


Sofia Frazoa (PÚBLICO)
Sites: http://www.comunateatropesquisa.pt/

Dezembro 13, 2007

Nirvana de Carteiro na Casa Fernando Pessoa

Se está à procura de boas perspectivas para uma tarde agradável, que tal recorrer à Casa Fernando Pessoa?
Ali verá a exposição “Nirvana de Carteiro” de John Howard Wolf, um ensaio fotográfico baseado na obra de Fernando Pessoa, O Livro do Desassossego.

A exposição estará patente até ao dia 11 de Janeiro de 2008.

Reconheço hoje que falhei; só pasmo, às vezes, de não ter previsto que falharia. Que havia em mim que prognosticasse um triunfo? Eu não tinha a força cega dos vencedores ou a visão certa dos loucos… Era lúcido e triste como um dia frio. “Bernardo Soares (het., Fernando Pessoa)

Casa Fernando Pessoa
Câmara Municipal de Lisboa
Rua Coelho da Rocha, nº 16
1250-088 – Lisboa Portugal
Telf: + 351 21 391 32 75

Site no WordPress.com.