Programa de Festas

Dezembro 2, 2008

Apresentação de «A Viagem do Elefante» em Lisboa – José Saramago – CCB

Dia 3 de Dezembro, 18.30 Horas.
Grande Auditório do Centro Cultural de Belém

Sobre o autor, ler aqui, na Editorial Caminho, e ainda na Fundação José Saramago em: http://blog.josesaramago.org/

Numa viagem que é uma metáfora, Saramago considera este livro como conto, e não um romance, “porque lhe falta o que caracteriza em primeiro lugar um romance: uma história de amor -o elefante não conhece uma elefanta no caminho – e conflitos, crises”

Julho 22, 2008

ANTÓNIO LOBO ANTUNES – PRÉMIO CAMÕES

O escritor António Lobo Antunes vai receber o Prémio Camões na próxima sexta-feira, dia 25, às 18h30, nos claustros do Mosteiro dos Jerónimos.

O Prémio, o mais importante para autores de língua portuguesa, atribuído ao romancista em Março de 2007, pelo conjunto da sua obra, vai ser entregue no âmbito da Cimeira da CPLP pelo Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, e pelo Presidente da República Federativa do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva.

Instituído em 1988, pelos governos de Portugal e do Brasil, o Prémio Camões é anualmente outorgado a autores cuja obra contribua para o enriquecimento do património literário e cultural da língua portuguesa.

O júri da 19ª edição do Prémio, constituído por Fernando J.B. Martinho e Maria de Fátima Marinho (Portugal), Letícia Malard e Domicio Proença Filho (Brasil), João Melo (Angola) e Francisco Noa (Moçambique), justificou, na altura, a distinção a Lobo Antunes pela “mestria em lidar com a língua portuguesa, aliada à mestria em descortinar os recessos mais inconfessáveis do ser humano, transformando-o num exemplo de autor lúcido e crítico da actualidade literária”.

Segundo nota da Direcção-Geral do Livro e das Bibliotecas, o Prémio Camões, instituído por Portugal e pelo Brasil em 1989, é o maior prémio de prestígio da língua portuguesa. Com a sua atribuição, é prestada anualmente uma homenagem à literatura em português, recaindo a escolha num escritor cuja obra contribua para a projecção e reconhecimento da língua portuguesa”.

Não perca esta semana a versão integral da grande entrevista que o escritor concedeu à Revista  VISÃO.

Excepcional. A fotografia é da autoria de José Carlos Carvalho – Visão

Diz o escritor na sua última crónica semanal publicada na Revista Visão da passada semana: “(…)” Se alguma dignidade de homem tenho, deu-me a Arte. Hipócrates: a Arte é longa, a Vida breve, a Experiência enganadora e o Juíizo difícil. O meu pai tinha isto num rectângulo de papel (…)”

Julho 3, 2008

Sérgio Godinho na Feira do Livro de Barcelos

 Sérgio Godinho é o cabeça de cartaz do dia de amanhã, na Feira do Livro de Barcelos, que decorre até 6 de Julho. O músico vem a Barcelos para apresentar o seu livro infantil “O pequeno livro dos medos” e para um concerto musical, a decorrer na noite de sábado.

Para além de ser um dos melhores escritores de canções, Sérgio Godinho também escreve livros infantis. “O pequeno livro dos medos” é a segunda obra escrita e ilustrada pelo autor. Este livro, inserido no Plano Nacional de Leitura, fala-nos dos medos da infância, “alguns mais fortes que nós” e de como os ultrapassamos. Porque o medo também faz parte de nós (quem não tem medo?) mas quando começa a ser exagerado, “a abusar”, é preciso controlá-lo, nem que para tal seja preciso “saltar, correr, espernear, lutar, falar, responder, perguntar, ou, muito simplesmente, pensar.”

A conversa com Sérgio Godinho terá lugar amanhã, dia 4, pelas 21h30. Na sessão de apresentação do livro, será ainda encenada a leitura de partes do “Pequeno livro dos medos”, pelos alunos da OOPS.

Ainda amanhã, pelas 22h15, haverá teatro no recinto da Feira, com o espectáculo “A Polémica da Fruta”.

Inserido no programa municipal “Em Voz Alta”, trata-se de uma farpa em um acto, na uma vendedora de fruta encontra-se a exercer o seu negócio numa confluência de ruas de uma cidade de Portugal. Para chamar a atenção de potenciais clientes, faz uso de altos pregões, qualificando a sua fruta com elogiosos predicados. O primeiro cliente que a aborda discorda imediatamente da proveniência que a vendedora atribui à fruta e gera-se entre ambos uma discussão. Chegam mais clientes, de diversas profissões e estratos sociais, e cada um emite opiniões e tece as suas críticas. A altercação vai subindo de tom e abordam-se temas que nada têm a ver com a questão inicial, descambando a discussão para assuntos da vida pessoal e diária, que faz do ser humano um autómato do poder instituído, sem no entanto se deixar arrastar para longe das realidades do quotidiano, iludindo propostas de aceitação de pretensas “verdades”.
Perante a polémica gerada, a vendedora entra em desespero, pois o dia vai sendo negro para as suas vendas. Salva-a em última instância uma freira, os amigos mais solidários e um bom pedaço de sorte inesperada…

Câmara Municipal de Barcelos

Maio 5, 2008

Lançamento do Livro “Karley Aida, O Circo, A vida” – 10 Maio, 18h30

Na Tenda – Jardim da Luz – Carnide, vai ocorrer o lançamento do livro “Karley Aida, O Circo, A vida”

Em 10 Maio, às 18h30.

Com o título – Karley Aida, o Circo, a Vida – surge a primeira biografia sobre um(a) artista de circo no mercado editorial português, iniciativa concretizada pela Junta de Freguesia de Carnide e assinada por Fátima Freitas.

Nesta obra conjuga-se a curiosidade – quem é esta artista de circo (?) – ao interesse por saber o que significa ser artista de circo(?).

Karley Aida, é uma artista que desenvolveu diversificado currículo no estrangeiro tendo alcançado fama de ‘vedeta’ no âmbito das artes do espectáculo, em particular no circo e na música ligeira. Quando regressa Portugal, o seu nome reaparece em funções destacadas em várias estruturas profissionais ligadas à actividade circense, da qual se tornou uma combativa representante. Seguir o relato desta vida – escutar a interioridade da sua estória – é, também por isso, acrescer material de informação e de reflexão sobre a história e evolução da Arte do Circo (a ‘Arte do Instante’) e suscitar, ainda, renovadas questões prementes pela sua actualidade. Designadamente, as que permitem vislumbrar nos ‘entreluzes’ desta pista a urgência do diálogo entre duas linguagens e realidades circenses – ‘circo tradicional’ / ‘novo circo’, equacionando alguns dos pontos nodais que emergem do seu confronto.

Pois, afinal, o Circo – não o esqueçamos – é uma metáfora da Vida.

Este evento insere-se no âmbito da programação “Haja Circo”, que ocorrerá em diferentes locais da freguesia de Carnide de 9 a 11 de Maio, com o objectivo de promover e divulgar as actividades circenses.

Mais informações:

João Oliveira – Coordenador da Cultura
Junta de Freguesia de Carnide – Largo das Pimenteiras, 6 A
1600-576 Lisboa
T. 217 121 330 – F. 217 121 349

http://www.jf-carnide.pt

 

Abril 19, 2008

Concurso Literário 2008 – Papiro Editora

Filed under: concurso,literatura,poesia — profestas @ 5:14 pm
Tags: , , , , ,

Ler aqui o regulamento do concurso (documento pdf)

Março 9, 2008

Noites Bartô no Chapitô

Informação Chapitô

Março 4, 2008

Noites Bartô no Chapitô

Filed under: literatura,musica portuguesa,teatro — profestas @ 4:43 pm
Tags: , , , , , , ,

Fevereiro 27, 2008

Prémios Literários de Sintra – Oliva Guerra (poesia) e Ruy Belo (obra poética)

A Câmara Municipal de Sintra está a promover os Prémios Literários de Sintra – Oliva Guerra (poesia) e Ruy Belo (obra poética publicada).

Se gosta de escrever, avance, aproveite esse momento mágico, uma inciativa da Câmara Municipal Sintra para premiar autores portugueses. Escrever, como alguém disse, é uma “oferta dos deuses”.

As obras concorrentes deverão ser entregues até ao próximo dia 11 de Abril.

O Prémio de Poesia Oliva Guerra está aberto a todos os autores nacionais. Os trabalhos terão de ser inéditos e com um mínimo de 50 páginas.

O Prémio Obra Poética Publicada Ruy Belo destina-se a galardoar bienalmente um livro de poesia publicado em primeira edição no biénio 2006/2007.

Não são admitidas a concurso obras póstumas. Em ambos os prémios não haverá atribuição ex aequo e terá um valor de cinco mil euros.

As obras deverão ser enviadas por correio, devidamente registadas e com aviso de recepção, ao secretariado do Prémio Oliva Guerra ou Ruy Belo, Rua do Roseiral, n.º 20, São Pedro de Penaferrim, 2710-501 Sintra.
Um júri constituído por um representante da Associação Portuguesa de Escritores, da Associação Portuguesa dos Críticos Literários e da Câmara Municipal de Sintra apreciará os originais.

Foto de Rui Gil

Fevereiro 25, 2008

Noites Bartô no Chapitô

Informação do Chapitô

Janeiro 10, 2008

Pedro Tamen – Prémio Literário Inês de Castro

Filed under: literatura — profestas @ 7:16 pm
Tags: , , ,

         

Poeta , tradutor e ensaísta, Pedro Tamen recebe a primeira edição do Prémio Literário Inês de Castro, pela obra “Analogia e Dedos”, revelou hoje à agência Lusa, Aníbal Pinto de Castro.

O prémio, criado pela Fundação Inês de Castro (FIC), foi atribuído este ano pela primeira vez, sendo entregue a Pedro Tamen no sábado, numa cerimónia presidida pela ministra da Cultura, Isabel Pires de Lima.

O júri que escolheu Pedro Tamen integrava, além de Aníbal Pinto de Castro, José Carlos Seabra Pereira, Mário Cláudio, Fernando Guimarães e Frederico Lourenço.Segundo o presidente da FIC, catedrático jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, a Fundação Inês de Castro atribuiu também o Tributo de Consagração a Urbano Tavares Rodrigues, pelo conjunto da sua obra.

No final do ano passado, Pedro Tamen arrebatou, com a mesma obra, o Prémio de Poesia Luís Miguel Nava, relativo a livros publicados em 2006.O poeta e tradutor nasceu em Lisboa em 1934. Entre as suas obras contam-se “O Sangue, a Água e o Vinho”, “Escrito de Memória” e “Dentro de Momentos”.

Com o valor de 5000 euros, o Prémio Literário Inês de Castro pretende distinguir uma obra sobre a temática do mito inesiano, “podendo abranger temas tão abrangentes como a paixão, a vingança, a tragédia, a razão de Estado ou outros aspectos da representação histórico-cultural portuguesa”.

A Fundação Inês de Castro celebra sábado o seu terceiro aniversário com diversos eventos ligados aos temas inesianos, com a participação de várias figuras das artes e da política portuguesa.

Além da entrega dos prémios, está prevista uma visita ao jardim medieval e à mata da Quinta das Lágrimas.

Serão também anunciadas as novas iniciativas promovidas pela FIC no sentido de favorecer a investigação e divulgação da história, da cultura e da arte relacionadas com temas inesianos.

“Abres os braços, livres ou intensos,
e não é só a mim que tu recebes:
abrigas lentas luzes, ventos densos,
distantes calmas, costas, limos, neves…
Assim os búzios: quando os temos
na mão, rugosos e cantantes,
quem sabe se os sabemos
hoje, depois ou antes?”

Excerto do poema “ Digo de ti…”

Dezembro 19, 2007

Miguel Sousa Tavares

Filed under: literatura — profestas @ 5:43 pm
Tags: ,

Como em tudo, há quem goste e quem não goste de Miguel Sousa Tavares como escritor.

Gostámos do “Equador”, e ainda não lemos o “Rio das Flores”. É inegável que é um excelente jornalista e cronista, já para não falar na sua faceta de comentador de futebol… mas adiante.

E cá para nós, é também um excelente escritor.

E se tais atributos por mero acaso não lhe coubessem, bastaria um. Só um.

Aquele que transparece nas palavras que dirigiu a sua mãe.

“… E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre.”

Miguel Sousa Tavares no funeral da mãe, Sophia de Mello Breyner Andresen

O prémio da terceira edição do Prémio do Clube Literário do Porto, concedido por “concurso de ideias e sugestões, visando galardoar o autor que mais criatividade teve na narrativa e ficção”, foi atribuído a este escritor.

A entrega do prémio ocorrerá no dia 27, às 21,30, no Clube Literário do Porto.

Dezembro 17, 2007

Inês Pedrosa – A Eternidade e o Desejo

Filed under: literatura — profestas @ 5:13 pm
Tags: ,

Inês Pedrosa publica uma entrevista hoje, no DN, sobre o seu novo livro “A Eternidade e o Desejo” (publicações Dom Quixote).

Dos seus livros, o que nos vem de imediato à memória é o “Fazes-me falta”. E este, que agora foi publicado, tem a marca, o virtuosismo da escritora.

Iniciando-se com as palavras de uma mulher cega que afirma “Pertencer a um país que de antigo se tornou velho também não ajuda a ver”, não é um livro de viagens, no significado normal do termo.

Todavia, a viagem faz-se até ao Padre António Vieira, num entrelaçar entre Portugal e o Brasil.
Vale a pena transcrever um excerto da entrevista, naquele gosto de apreciar uma das figuras marcantes da literatura portuguesa dos nossos dias.

“Esse padre era um padre muito especial. Fiquei surpreendida por lhe encontrar essas expressões (o amor e o desejo). O livro teria de falar de eternidade, mas o desejo foi uma surpresa e não me parece que a dimensão do desejo lhe fosse completamente estranha. Enquanto pensava e quando comecei o livro, não tinha encontrado esse sermão que não é muito conhecido cá mas é dos mais tratados no Brasil. Foi mais ou menos a meio da escrita. O Sermão da Nossa Senhora do Ó é o texto onde ele se debruça sobre o desejo. Para mim é um enigma a total ausência de vida erótica naquele padre, porque ele não era asceta nem místico, nem contemplativo, mas muito carnal.
Ele condensou o desejo quer na sua devoção como na sua acção sobre o mundo concreto. Tinha uma noção muito apurada da natureza humana e conseguiu dissertar sobre o desejo de uma forma muito aguda. Isso eu descobri a meio(…)”.

É evidente que aqui não se pretende fazer crítica literária.

Mas se o confronto entre a eternidade e o desejo, nascido no percurso do Padre António Vieira, na sensibilidade da escrita de Inês Pedrosa, merece atenção, então leia e delicie-se com a viagem que o livro lhe propõe.

Dezembro 4, 2007

“Selva Urbana” – novo livro de António Mateus

 “Selva Urbana – ponte entre olhares e sensibilidades de dois mundos, duas culturas, dois continentes, situações humanas comuns – é uma sequência de retratos publicados em colunas semanais num jornal diário de cariz económico, Jornal de Negócios, facto que por si mostra a interligação e profundo peso do sentir humano e humanista em tudo o que fazemos, mesmo a nível tecnocrático.
É também um devolver das empatias e das cumplicidades que, durante séculos, nos ligaram a África e África a nós, para lá dos acessórios coloniais e respectivos anti- corpos.
Viagem textual, cumprida por um jornalista-repórter-contador de histórias que, ao longo de década e meia, testemunhou directa e localmente a maior transformação política e social da era moderna, no mundo luso-africano, sul-africano e no relacionamento entre África e o resto do Mundo.”

Informação das Edições Colibri e do Instituto de Estudos de Literatura Tradicional (FCSH – Universidade Nova de Lisboa).

O lançamento realiza-se amanhã, dia 5, às 19 horas, no Auditório 2 – 3º Piso, da Universidade Nova de Lisboa. O livro será apresentado por José Rodrigues dos Santos.

Mais informação aqui na Agência Lusa.

Dezembro 2, 2007

“Do Livro de Salmos” – Mário Castrim

Chamava-se Mário Castrim e era sobretudo conhecido pelas crónicas de crítica televisiva – e bem polémicas e mordazes – que publicava no Diário de Lisboa. Ali criou em 1963, o Diário de Lisboa Juvenil, escola de escritores e jornalistas.

Teve vários livros publicados e, agora, surge um seu “outro lado”, uma obra poética na busca da sua espiritualidade. Cerca de 5 anos após a sua morte, “Do Livro dos Salmos”, editado pela Campo das Letras, resulta da sua colaboração com os Missionários Combonianos, nomeadamente na revista Audácia.

Ignora-se se a RTP, nos seus 50 anos, o terá homenageado enquanto crítico e escritor que tanto de si dedicou à televisão.
O lançamento do livro ocorre no próximo dia 4 de Dezembro, no auditório da Revista Além-Mar, em Lisboa. Será apresentado pelo poeta José Tolentino Mendonça.

Um poema dele, em sua memória:

“Gritar Liberdade!, é fácil
quando existe liberdade.
É fácil defender a liberdade de expressão
num off-set sofisticado
com ar condicionado, telex, telefones,
salário, hora para almoço, avales bancários,
protecção das leis e do governo
amplas janelas para o Sol, quebrado
por estores de alumínio, docemente.

Assim
ser pela liberdade de expressão
é cómodo e é fácil.

Mas do que eu estou a falar é doutra coisa.
Se entendeste, o poema está cumprido.
Se não, o poema espera
com a paciência tradicional de todos os poemas.”

Novembro 10, 2007

O lançamento da “Senhora de Ofiúsa” – uma viagem ao Cromeleque de Almendres

Uma viagem ao Cromeleque dos Almendres, no Alentejo junto a Guadalupe, Évora, local escolhido para o lançamento do livro “Senhora de Ofiúsa”, da autoria de Gabriela Morais, proporcionou uma viagem a um passado distante , relembrado pela escritora e pela responsável pela editora Apenas Livros, Fernanda Frazão.

Foram momentos de presença no templo – também observatório astrológico, na interpretação da autora – marcados por desenhos com tom de mistério, onde a variável luz do sol nos faz imaginar formas distintas, retratos da nossa identidade milenar.

Gabriela Morais

Fernanda Frazão

Grabiela Morais e Fernanda Frazão

A assistência

Novembro 4, 2007

Lançamento do livro “A Senhora de Ofiúsa”

A “Senhora de Ofíúsa” é um livro que esperávamos ansiosamente há, pelo menos, um ano. De facto as conversas que tivemos com a autora, Gabriela Morais, e a Fernanda Frazão da Apenas Livros Lda. quando duma viagem a Miranda do Douro no final do ano passado abriram-nos o apetite para esta visão revolucionária sobre a nossa história e identidade. Ainda não o lemos mas pelo que fomos sabendo nessas trocas de impressões é um livro para ser lido de um fôlego e pedir por mais.

E aqui fica o texto de apresentação recebido da Fernanda Frazão da Apenas Livros Lda. :

“Vimos convidá-lo para um sábado diferente e para um lançamento sui-generis num dos cenários da história que se conta, uma aventura na nossa pré-história, recheada de maravilhoso, fantástico e… real, na qual a autora dá vida aos nossos antepassados mais longínquos, aos seus objectos e às suas conquistas culturais.

Segundo Maria Teresa Meireles, que foi lendo o «manuscrito», trata-se de «uma forma inteligente, imaginativa e encantatória de viajar pelo tempo no espaço português, dando a conhecer o que as mais recentes investigações
ensinam sobre as nossas invulgares e curiosas raízes culturais».

Esperamos por si.”

Nós lá estaremos e contamos que muitos de vós o possam e queiram fazer também. Vão ficar muito surpreendidos com o que de novo este livro nos conta!

Outubro 23, 2007

Primeiro encontro de escritores de Torres Vedras

Filed under: literatura — Dionisio Leitão @ 12:21 am
Tags: ,

Encontro de Escritores de Torres Vedras

Organização: Académico de Torres Vedras

Produção: Livrododia, Editores e Livreiros

Apoios: Fundição Dois Portos, Câmara Municipal de Torres Vedras, Hotel
Império

26 de Outubro

a partir das 10 horas

Leituras para Crianças nas Escolas

pelo Grupo de Teatro do ATV

EB1 Maxial * EB1 Freiria * Biblioteca da EB 2, 3 dos Campelos * EB1 Torres
Vedras (Agrupamento de São Gonçalo)

15h30

Sessão de Abertura

Salão Nobre dos Paços do Concelho

16h

Mesa: Literatura para Crianças

com Mafalda Milhões, Dora Batalim, Isabel Martins, Ana Meireles e José
António Gomes (moderador)

Salão Nobre dos Paços do Concelho

21h

Noite de Poesia

com Luís Filipe Cristóvão, Ozias Filho, Mário Lisboa Duarte e Rute Mota.

Livrododia – Centro Histórico

27 de Outubro

a partir das 10 horas

Leituras para Crianças

pelo Grupo de Teatro do ATV

Livrododia – Centro Histórico

15h30

Mesa: Novos Autores

com Cláudia Clemente, Golgona Anghel, Inês Leitão, Paulo Bandeira Faria e
Luís Filipe Cristóvão(moderador)

Salão Nobre dos Paços do Concelho

16h40

Apresentação da Colecção Palavra Ibérica

com Luís Filipe Cristóvão, Fernando Esteves Pinto e José Carlos Barros.

Salão Nobre dos Paços do Concelho

17h30

Mesa: O Mercado dos Livros

com Miguel Real, Pedro Mexia, José Prata e Nuno Seabra Lopes (moderador)

Salão Nobre dos Paços do Concelho

20h30

Jantar de Encerramento

Hotel Império

Mail recebido de Margem D’Arte

site na WordPress.com.