Programa de Festas

Dezembro 19, 2007

Miguel Sousa Tavares

Filed under: literatura — profestas @ 5:43 pm
Tags: ,

Como em tudo, há quem goste e quem não goste de Miguel Sousa Tavares como escritor.

Gostámos do “Equador”, e ainda não lemos o “Rio das Flores”. É inegável que é um excelente jornalista e cronista, já para não falar na sua faceta de comentador de futebol… mas adiante.

E cá para nós, é também um excelente escritor.

E se tais atributos por mero acaso não lhe coubessem, bastaria um. Só um.

Aquele que transparece nas palavras que dirigiu a sua mãe.

“… E de novo acredito que nada do que é importante se perde verdadeiramente. Apenas nos iludimos, julgando ser donos das coisas, dos instantes e dos outros. Comigo caminham todos os mortos que amei, todos os amigos que se afastaram, todos os dias felizes que se apagaram. Não perdi nada, apenas a ilusão de que tudo podia ser meu para sempre.”

Miguel Sousa Tavares no funeral da mãe, Sophia de Mello Breyner Andresen

O prémio da terceira edição do Prémio do Clube Literário do Porto, concedido por “concurso de ideias e sugestões, visando galardoar o autor que mais criatividade teve na narrativa e ficção”, foi atribuído a este escritor.

A entrega do prémio ocorrerá no dia 27, às 21,30, no Clube Literário do Porto.

1 Comentário »

  1. “Porque não te calas?” – É o que apetece gritar, glosando o grande Rei de Espanha, quando VPVs e DGDs não abrem a boca senão para dizer o quanto lhes doem os cotovelos. Que importam as imprecisões, literárias, históricas ou outras, se os livros de MST têm conseguido aquilo que verdadeiramente é necessário neste país?: LER…
    Se tivessem, como milhares de professores, de conhecer a forma miserável como alunos do secundário, universitários (e até muitos professores) usam a língua, deixariam decerto de sentir tantos pruridos. Mas, como em tudo, somos um povo que só liga aos detalhes e nem se preocupa com a essência… Quantos portugueses conhecem, de o ler, Vasco Pulido Valente? E quantos terão ouvido falar de Dóris Graça Dias? Se para ser conhecido só for preciso denegrir o trabalho alheio, esta moda vai pegar rapidamente e consumar-se-á numa explosão de notáveis, que nem são capazes de ler um livro, quanto mais escrevê-lo!

    Comentar por MJACS — Fevereiro 6, 2008 @ 2:48 pm | Responder


RSS feed for comments on this post. TrackBack URI

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

Site no WordPress.com.

%d bloggers like this: